O EGO COMO SEU ALIADO

Como o ego pode ser seu aliado?

Francine Schemer

Antes de explicar como exatamente o ego poderá ser o seu aliado, eu vou brevemente explicar o que é o ego. Ego é parte do nosso ser, então com certeza você já ouviu frases do tipo: você está com o ego inflado, isso é tudo culpa do ego ferido, entre tantas outras.

Importante sabermos que para viver aqui neste plano precisamos do ego, ele é essencial e caminha juntamente com a nossa mentalidade do “eu sobrevivente”.

O “eu sobrevivente” é um arquétipo da sua mente que está totalmente voltado para os sentimentos que te mantém vivo, ou seja, te conecta aos sentimentos mais primitivos do ser humano. Os sentimentos que ficam nessa parte do seu cérebro são aqueles mais violentos e de sobrevivência mesmo, como o arquétipo já indica.

O “ego”, por outro lado, é aquele que sempre está tentando te proteger, de uma dor, de um esforço, de uma rejeição. Podemos perfeitamente ilustrar o ego agindo após o término de um relacionamento, onde uma das partes não aceita o término muito bem, nesse caso, nós falamos sobre o tal ego ferido. “Como assim você não me quer? Como assim você está melhor sem mim?” Esse é o ego negativo, prazer!

Mas, e o tal do ego positivo? Como identificar?

Estamos tão automáticos no nosso subconsciente que não nos damos conta da energia positiva que o ego pode exercer sobre nós. Aliás, o nosso “eu sobrevivente” sempre nos coloca no foco do que nos falta, e por isso muitas vezes temos a dificuldade de enxergar as coisas positivas que estão por trás de cada situação que passamos.

O ego positivo é o responsável por nos manter vivos e nos ajudar a buscar soluções em nosso arquivo dos aprendizados. Ele pode nos ajudar a ter mais confiança em nós mesmos através das nossas experiências de sucesso, e aprendizados que deram certo pela perspectiva da realidade de cada um. Ele também será responsável por te ajudar a acessar suas memórias através de regressões e projeções.

O ponto que é mais importante, além de reconhecer o ego positivo, é você reconhecer a positividade do ego negativo e como ele poderá ser o seu aliado na sua jornada de autoconhecimento. Você deve estar se perguntando, “Como eu posso fazer isso? Como reconhecer esses pontos?”

A resposta é simples, apesar de parecer algo distante, pois por muito tempo lutamos contra o ego, e quase sempre olhamos ele como o “vilão” das situações. Para que seja possível nos aprofundar na nossa essência, é necessário fazer as pazes com o nosso ego. O ego sempre está lá para nos proteger, dessa maneira quando estamos em desequilíbrio em algum ponto do nosso emocional, o ego entendeu algum benefício ali e um mecanismo de proteção.

Em determinado trabalho terapêutico que estava fazendo comigo, percebi que tinha dificuldade de aceitar ser corrigida ou pedir ajuda a alguém, e então eu perguntei ao meu ego, “O que estamos ganhando de positivo com isso? Como isso me afeta?”

E a resposta que recebi da minha mente foi: se protegendo de ser inferior às outras pessoas, pedir ajuda é para os fracos, você tem que provar que é forte!

O benefício central do ego nesse caso, é evitar demonstrar a minha fraqueza, pois ele entende que se alguém souber dessas fraquezas, essa pessoa poderá me ferir,

Percebe que o ego está sempre querendo de alguma maneira te proteger? E dessa forma criamos muitos padrões limitantes, pois o ego negativo é a voz que te limita, ele vai te paralisar para te proteger. O ego facilmente aplica a lei do menor esforço, onde ele entende que quanto mais paralisado, mais seguro estará, por isso prorrogamos tanto.

Quando falamos sobre o ego inflado, por exemplo, também falamos sobre um sistema de proteção, nesse caso a pessoa tem medo da rejeição e do abandono, então ela precisa se sentir superior aos outros para criar uma camada de proteção para que ela possa se preservar desse sentimento que ela tanto teme.

Nestes casos onde você identifica que está sendo limitado pelo seu ego, ou sente que está em desequilíbrio com seu “eu”, é indicado que você se pergunte: “O que eu ganho de positivo nessa situação? Como isso me afeta?”, você prontamente pode responder, “Nada!” Mas permita que a resposta venha, pois já adianto que nunca é nada, sempre haverá algo, pois nosso sistema de crenças é sempre construído por entendimentos “positivos”, que na verdade não são tão positivos assim, em grande parte das situações.

Dessa forma podemos nos aliar ao nosso ego, nos conhecer melhor e limpar padrões de medo, limitações, reatividade e inflexibilidade. Faça as pazes com seu ego, e deixe sua vida fluir com mais leveza. Afinal, ter aliados nessa jornada do autoconhecimento caiu muito bem, não é mesmo?

Francine Schemer

Fonte:  Editora Dufaux

Esta entrada foi publicada em Artigos, Família, Sociedade. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *