NUNCA DESISTIR

Joanna de Ângelis

Por que razão sofrer indevidamente, sem esperança de alterar o quadro para melhor?

Por que essa fatalidade de tudo que planejo resultar em insucesso?

Qual a razão dos desaires e dos tormentos que nos devoram por dentro, sem perspectiva de uma mudança para melhor?

São muitos aqueles indivíduos cujas existências são uma bênção longa em sucessivas manifestações. Por que comigo é exatamente o oposto?

Qual o significado de tantos desacertos existenciais?

São inúmeras interrogações pessimistas a afligir as pessoas que se encontram distantes da fé religiosa ou a possuem sem estrutura de reflexão e da planificação divina.

A jornada terrestre é um curso de aprendizagem e de aprimoramento na escola humana.

O Espírito possui em germe as excelentes qualidades da perfeição, que se irão manifestando no processo de conquista dos sentimentos e do conhecimento intelectual.

Normalmente, o mecanismo para a depuração exige aflição e dores compreensíveis e de breve duração, enquanto dura o esforço transformador.

Quando há no indivíduo a predominância das energias materiais e dos impulsos primários, esse inevitável trabalho de evolução é sacrificial e a ausência das forças morais empurra-o para a desistência.

Não se pode nem se deve desistir de si mesmo, nem do amor em todas as suas expressões.

Toda e qualquer tentativa redunda em prejuízo de tempo e harmonia pessoal.

Muito fácil desistir-se de atuar na edificação dos valores éticos e espirituais, detendo-se no sofrimento que se pretende evitar.

Todo e qualquer deságio tem o objetivo de promover o ser humano.

Quem hoje desfruta de facilidades iluminativas adquiriu-as nas experiências passadas. Aplicando-as em favor do auto crescimento e da promoção planetária.

Aqueles que defrontam obstáculos e derreiam com facilidade, sentem-se propelidos à desistência da mensagem educadora.

Indispensável repensar-se na finalidade ideal da reencarnação e aproveitar a divina concessão do bem-querer.

Cada atraso, postergando o dever que se apresenta, contribui para ampliar a carga de aflições que serão vivenciadas porque fazem parte das Soberanas Leis.

É equívoco que induz à desistência e a um estado de presunção e de soberba, graças ao qual o indivíduo despreza os dons da Natureza, negando-se o direito de aprendizagem feliz.

Nem sempre aquilo que hoje resulta favorável, depois apresenta facetas-problemas que não foram percebidos no momento do aparente triunfo e eis a presença de resultados perturbadores.

O êxito a que todos aspiram é um acontecimento fortuito que coroa um empreendimento e dá resultados adversos em outra circunstância.

Se um planejamento não logrou os resultados esperados, repete-o de outra maneira.

Verifica onde se encontra o ponto vulnerável ao resultado negativo e realiza-o com outros cuidados. Possivelmente agora as circunstâncias são favoráveis à tua disposição que agora é de firmeza.

* * *

Nunca desistas das experiências do bem, mesmo que a custo de labores sacrificiais. Nada do que foi conquistado se perde, servindo de passe para sustentar novas conquistas.

Sempre que te ocorra o desânimo, reage com a esperança e alegria do triunfo porvindouro.

Pequenas e repetidas doses de amargura injustificada empurram para a negação da vida, o suicídio.

O autocídio pode manifestar-se por meio de um surto ou vagarosamente, quando se vai cedendo ao pessimismo, à falta de trabalho.

Desse modo, busca a terapia de ajudar aos outros e serás beneficiado quando compartas, repartas, ofereças ao teu próximo.

O triunfo não é conseguido por uma ocorrência da sorte, do destino, mas de operações muito bem elaboradas desde o Mais-Além antes da investidura carnal.

Vê o Sol dourar a Terra após as mais terríveis tempestades e destruições. Graças a ele, porém, a vida existe, foi criada e se mantém.

Torna-te pequena estrela onde estejas: clareia, ajuda, transmite vida.

Vives hoje e sempre viverás, crescendo mediante o próprio esforço e sob a soberana luz do Sol de Primeira Grandeza, que é Jesus. Ninguém se permita consumir pela ociosidade, o não feito, o cansaço do Bem.

Quem se permite desistir de algo que parece fácil de executar-se, está fadado a outros prejuízos mais graves.

O indivíduo se acostumou ao jogo fácil do agir, não agir e enfraquece-se cada vez mais até o momento grave e terrível da via física, cometendo o mais hediondo crime que é o suicídio.

Aprende a enfrentar dificuldades e transforma-as em degraus de evolução.

Observa as aves frágeis nas construções dos ninhos, utilizando um material muitas vezes sem resistência e sobrevive a tempestades e situações penosas. Quando são despedaçados, ressurgem noutro lugar sob cuidados que faltaram ao que foi desfeito.

Deus dotou o Espírito com a inteligência para que ele seja cocriador da vida no Universo.

Não desistas de lutar pelo bem-estar e pela arte sublime de viver.

Quem tropeça é porque está de pé e andando.

Sai de um desastre e avança com beleza e otimismo para a glória do aperfeiçoamento.

* * *

Não te permitas esmorecer ou acumular o desânimo, quando as tuas realizações derem resultados negativos.

A Natureza nunca deixa de ensinar-nos. Toda vez que é vencida por algum fenômeno infausto, refaz-se lentamente e estua em glória na face da Terra.

Joanna de Angelis

Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na reunião mediúnica da noite de 23 de novembro de 2020, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia

Fonte: G. E. Casa do Caminho de S. Vicente

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *